g2h

level

sábado, 23 de maio de 2009

MARATAIZES TERRA ENCANTADA




O município de Marataízes foi criado em 1992, porém somente em 1º de janeiro de 1997 é que ele passou a existir efetivamente. O nome Marataízes é de origem indígena e significa “água que corre para o mar”.
Marataízes partilha sua origem histórica com o município de Itapemirim, cujo povoamento se iniciou em 1539, quando Pedro da Silveira estabeleceu fazenda perto da foz do Rio Itapemirim. Em 1700 chegavam da Bahia, Domingos Freitas Bueno Caxangá, Pedro Silveira e outros, que se ocuparam da cultura da cana-de-açúcar, dando continuidade à construção do povoado.
Em 1771, quando os índios Puris atacaram as Minas do Castelo (atual município de Castelo), seus moradores se refugiaram na foz do rio Itapemirim, fundando, naquele local, a Freguesia de Nossa Senhora do Patrocínio, hoje Barra do Itapemirim. Devido às facilidades de transporte e à segurança oferecida pelo ancoradouro interno a pequenas embarcações, a Freguesia progrediu rapidamente. Foi, sem dúvida, o ponto de partida de toda a colonização do Sul do Espírito Santo. O Porto da Barra do Itapemirim era a porta de saída de produtos da terra e a entrada dos primeiros colonizadores. Pela Barra do Itapemirim entraram homens e as máquinas, o progresso, a civilização, a cultura e a arte. Pelo porto entraram os vagões da Estrada de Ferro e saiu toda a produção de açúcar, aguardente e café, que já em 1852 era superior a cem mil arrobas, ou seja, mil e quinhentas toneladas.

Acredita-se que o nome “Marataízes” tem sua origem da língua tupi-guarani, com o significado “água que corre para o mar”, graças à grande quantidade de lagoas que vão ao encontro de mar.
Mas é comum ouvirmos diversas lendas indígenas, como a da índia Ísis que ao morrer provocou uma euforia e tristeza na tribo, fazendo com que os demais índios gritassem a frase “Mataram Ísis” e, ainda, a da índia Taís, que recebera como presente de seu pai, chefe da tribo, a praia que habitava, daí, “Mar Taís”. Outra versão é de que o nome se origina de uma função da linguagem e da religião utilizada pelos negros que aqui habitavam e tinham como dialeto a língua “marata”, das tribos africanas “bantos”, e que veneravam a deusa Ísis, protetora das famílias.
No final de 2001 o mar invadiu a faixa de areia da praia central prejudicando a economia no verão, se chocando diretamente com a Av. Atlântica, destruindo até partes do calçadão de concreto. O município vem tentando desde 2002 solucionar o problema. Devido a baixa arrecadação do município e a concorrência em turismo com municípios vizinhos, projetos eficazes e verbas relevantes federal e estadual demoram sair. No entanto, no ano de 2008 o Governo Estadual iniciou uma grande e ousada obra para a recuperação da praia central de Marataízes. A recuperação da praia central de Marataízes compreende duas etapas, a primeira é recompor o trecho afetado por erosões com estruturas de enrocamento e o engordamento da faixa de areia para devolver a balneabilidade. A primeira delas já foi concluída com a construção de dois espigões, um ao norte e outro ao sul da praia. E a segunda etapa contemplará a implantação de estruturas de enrocamento, com a construção de três quebra-mares entre os dois espigões que já estão prontos. Juntas, essas estruturas irão conter o processo erosivo e devolver a balneabilidade da praia. No dia 11 de janeiro de 2009 o governador em exercício do Espírito Santo, Ricardo Ferraço, assinou em solenidade o edital de concorrência para contratação de obras da segunda etapa das obras de restauração e proteção da Praia Central de Marataízes.


* A desaguá do Rio Itapemirim no mar dando ao município grande variedade de peixes tanto de água doce como oceânicos. A migração de peixes entre os dois ecossistemas é constante. As praias próximas ao rio são procuradas por pescadores amadores e esportivos.

* A migração definitiva de habitat do Callinectes sapidus (siri). No local conhecido como Lagoa do Siri, essa espécie deixa o oceano atlântico migrando para uma grande lagoa de água doce, se reproduzindo e constituindo um habitat comum.

* A migração e reprodução de Sterna paradisea (andorinha) provenientes do Canadá que chegam a região por volta do mês de dezembro para se reproduzir e retornam a viagem no início de março. Algumas dessas andorinhas são marcadas por centros de pesquisa/biologia canadenses e já foram encontradas por moradores da região.




Praia dos Cações - É uma praia cercada por morros, ideal para a prática do windsurf e da pesca em Marataízes.

Praia do Siri - Suas ondas fracas e uma lagoa são as características marcantes da Praia do Siri. Essa é uma das praias de Marataízes, mais propícias à prática de esportes náuticos.

Praia do Centro - Praia de águas calmas e areia fofa, localizada exatamente no Centro de Marataízes.

Além das praias citadas acima Marataízes ainda tem como opção os seguintes lugares, que totalizam mais de 25 km de praias: Praia Bacia das Turcas, Praia da Areia Preta, Praia da Barra, Praia da Boa Vista, Praia da Cidade Nova, Praia da Cruz, Praia da Lagoa D'antas, Praia da Lagoa Funda, Praia das Arraias e Praia do Pontal.

Área Urbana Área Norte (Barra do Itapemirim): 10 Bairros (Pontal, Barra do Itapemirim, Areias Negras, Filemon Tenório, Candinha, Monte Carlo, Wandamaria, Cidade Nova, Acapulco e Queimada).

Área Central: 27 bairros (Cidade Nova, Santa Rita, Jardim Balneário Elza, Arraias, Miramar, Baixa dos Ubás, Centro, Belvedere, Santa Tereza, Elza, Esplanada, Esplanada II, Baixa Bonita, Alvorada, Bela Vista, Belo Horizonte, Novo Horizonte, Belo Horizonte Otil, Lourdes I, Lourdes II, Atlântico, Fátima, Dona Ruth, Nossa Senhora Aparecida, Xodó, Petrolândia e Nova Marataízes).

Área Rural: 12 localidades (Jacarandá, Brejo dos Patos, Fazenda Canaã, Jaboti, Nova Jerusalém, São João do Jaboti, Sol Nascente, Dantas, Boa Vista do Sul, Siri e Cações).

Postagens populares

Google+ Badge

pesquise na web

Google+ Followers